18.9.15

Crônica do leitor: O Cretino

Hoje eu encontrei as palavras para uma coisa que vem me incomodando há tempos. Aquelas verdades que você escuta pela vida: beba 3 litros de água por dia, não magoe um coração, o tempo cura tudo, a vida não espera, as coisas não caem do céu, verdadeiros amigos resistem a distância. Podem ser verdades, no entanto, são impraticáveis, ou, na minha opinião, um ideal utópico do que gostaríamos. 

Quantos de nós não tivemos o coração partido e tudo que queríamos era uma garrafa de vodka ou um pote de sorvete? Quem não adoraria o gênio do Aladdin? Sabemos que nada disso é real, nem mesmo eficaz. Se dormirmos tudo que devemos, iremos acordar atrasados no dia seguinte ou iremos dormir tão cedo, que aquele tempinho para si ou para relação, não vai mais existir.

encontrada em http://weheartit.com/

Se a distância puder ser medida em km, ela pode ser cruzada, o problema é que junto com as milhas vem também o abismo que separa os corações. Essa distância é intransponível. Sua amizade precisa de telefonemas, não apenas mensagens de texto com carinhas, seu amigo precisa ouvir você rir! Precisa ouvir você se importar em como ele está! Precisa sentir essa amizade. Então não é a amizade que resiste a longas distâncias, é você que corre o mundo com o seu amigo no peito, na mente e na vida. É você que luta por essa amizade! De todas elas, acho sacanagem mesmo colocarmos tudo na conta do tempo! 

Se não dá pra resolver, o tempo cura. Oras, onde vocês viram o diploma de psicólogo ou de medicina do tempo? Esse cretino continua a correr não importa o que tenha acontecido. A verdade é que cansamos de brigar com ele e o transformamos num Deus. Inatingível, inalcançável, único, cheio de mistérios e, o pior, impiedoso. E de quem é a culpa? Da vadia da vida. Essa dama sórdida que brinca conosco dizendo que logo vai embora, sem dar a data. Temos que correr! Para que tudo que queremos fazer caiba no tempo que a vida decide que temos. No processo atropelamos nós mesmos. Enquanto esse formoso casal se diverte as nossas custas. 

A solução? Talvez seja outra verdade inalcançável, o que não nos impede de tentar. Colocar-se em primeiro lugar, não os seus desejos ou sonhos, mas você. E agora você deve estar me perguntando: "E o que somos se não o acúmulo dos nossos sonhos e desejos?" - Somos mais. "O tempo leva embora e o que for para ser seu o tempo traz" - Minha gente, o tempo não é delivery!

Enviada por Luciana Sá Freire, do blog Achei as Palavras  

Nenhum comentário:

Postar um comentário